quinta-feira, agosto 24, 2006

Meu dia perdido como Marjane

Hoje eu fiquei vagando por aí... Cheguei muito cedo na faculdade, horas mais cedo. Sentei-me em uma carteira e desenhei quatro páginas de um caderno novo. Sonhei com terras e ilhas além do mar.
Sabe quando você fica sem rumo? Quando seus pés simplesmente andam por aí, seguindo a calçada, mas a sua cabeça está em outro lugar completamente diferente. Então, foi o que me aconteceu hoje, enquanto eu esperava pelas aulas começarem.
Uma hora resolvi pegar um ônibus da Circular. Eu sempre tenho essa curiosidade em saber onde vão os ônibus depois que a gente desce deles.
(Eu sei que só a Camilla leu esses livros, mas a vontade de escrever essa comparação é maior do que a sensação de que é inútil porque ninguém vai entender:)
Me lembrei da Marjani Satrapi, a garota de Persépolis. Uma hora ela perde tudo o que tinha e fica simplesmente entrando e subindo nos bondes de Viena; o dia inteiro ela passa rodando pelas ruas, sem nenhum lugar para voltar, ou pessoa para esperar. Senti um pouco a mesma coisa, em uma magnitude menor. A circular subia e descia, parava na estação, contornava rotatórias e eu permanecia em seu banco, olhando as pessoas que passavam, conhecendo a USP, lendo Bodas de Sangue.
Sabe quando você simplesmente não tem nada para fazer? Nada a te motivar?
Li os textos para a aula, desenhei um pouquinho (quando a circular parava), pensei no comércio do Sael, na vida, no sol.
Passei na banca... e nada de One Piece... 15 dias esperando... ToT
Acho que agora conheço todos os prédios da universidade.
Todas as ruas e rotas dos ônibus.
Passei inclusive no MAE (museu arqueológico e etnológico), por curiosidade e por que você falou dele e disse que era tão bonitinho (você também disse que ele se parecia com um prédio de fazendinha, mas eu prefiro não ter escutado essa parte...). Tem uma coleção bonita. Fiquei ali, olhando os potes indígenas super alegre. Tem umas máscaras africanas assustadoras e objetos iorubás mó interessantes!
Aí veio a biblioteca, e mais desenhos e leituras.. Fiz um mapa enquanto lia o Dicionário dos Símbolos. Adoro desenhar mapas.
E então a aula de História da África.. Mandês, Benin, obás, rias da Gâmbia, planalto do Futa Jalão, São Jorge da Mina, Senegal, Tomboctou...

Eu realmente não presto para contar sobre o meu dia em blogs. É por isso que eu conto histórias e faço piadas. Talvez foi esse dia que foi esquisito e sem centro.
Não sei contar sentimentos.



P.S. - Tem um oní (rei) dos iorubás chamado Ovonramen... Entenderam? Ovo'nRamen! Ovo and Ramen!! Ovo e Ramen!!!
Às vezes alegria é tão desesperada....

7 comentários:

Utak disse...

Um rei que chama Ovonramen... que "legal" bizarrisimo!!!! você realmente nao tem o que fazer né?
eu passari esse tempo dormindo, eu me sinto melhor dormindo e ainda tenho chances de lembrar dos sonhos! eun durmo todas as noites esperando lembrar dos sonhos, mas eu sempre os eskeço...

Pioux's disse...

eu gosto de dias assim!

Milla disse...

eu diria que foi um dia reaxante e filosófico...
por falar em Persépolis,saiu o 5? (era esse que faltava, né?) queria ler... to lendo mta coisa inutil ultimamente.
eu tb quero passar no MAE!!! queria fazer arqueologia, mas acho que não dá...
to tão desmotivada... por isso das reticências.
Beijos pra todos, e desculpa não ter postado ainda, amanha faço isso sem falta!

Artur disse...

estou na faculdade errada... aprender história da África e ainda ser possível chegar HORAS antes da aula!...

pioux disse...

ebaaa a mila vai posta hj.....
entao artur... talvez.... e milla... dexa de ser desmotivada e se anima!

Charles B. disse...

A aula era noturna... Por isso as horas antes (período da tarde)

Artur disse...

Bom, Charlie, se eu tivesse aula noturna TAMBÉM teria aulas de manhã e de tarde, então de qualquer jeito não teria a mesma possibilidade que você...