sexta-feira, outubro 16, 2009

Etlyr no Fim do Mundo



O fim do mundo era um rio de fogo e uma cabana onde morava uma bruxa.
Ela voou até lá com o vento sudeste, que tinha a forma de um cáo com olhos do tamanho de pires.
Voou de volta com o vento noroeste, que tinha a forma de um tigre com olhos de prata. Nas máos trazia um colher pequena e delicada.
Voltou até Esperanza. A cidade que fica na beira do mundo e onde todos perderam os sonhos. Náo há nada lá. Só pessoas perdidas que náo consegue voltar para casa. E o Abismo Negro que impede as pessoas de seguirem pelo céu.
- Eu trouxe a colher de prata - ela disse - E eu trouxe o vento norte - que tinha a forma de uma serpente com coxas de ouro - Entáo por favor me escutem!
Em Esperanza é sempre crepúsculo.
E o mundo é sempre muito longe.


Um dia o Vento Sul sopraria o Abismo Negro para longe e traria o sol de volta para a cidade sem sonhos.
Mas essa já é outra história...

2 comentários:

Charles B. disse...

Desculpe.
Estou publicando histórias em uma ordem esquisita.
Eu queria que essa imagem ficasse em cima, então deixei esse post em primeiro lugar, mesmo tendo colocado coisas novas embaixo.
È isso.

Charles B. disse...

P.S. - O objetivo dessa história era juntar um conto de fadas que eu me lembro muito vagamente sobre um garoto que vai ao fim-do-mundo com a cidade de Esparanza de Skies of Arcadia.
Nem ficou uma história muito boa. Eu ainda preciso descobrir como usar essa sensação esquisita que o conto-de-fadas me dá em uma história. Por isso fico tentando pensar em fins-do-mundo...
É isso. (2)